O Windows 10 traz diversas melhorias em relação aos seus antecessores, em especial em relação ao Windows 8. Muitas delas não são imediatamente visíveis aos usuários, mas uma em especial marcou o grande destaque: a volta do menu iniciar. Curioso, visto que a grande novidade é na verdade algo que há tantos anos estamos acostumados a ter.

O novo menu iniciar não agradou apenas os usuários que sentiram tanta sua falta no Windows 8, mas também os designers. Ele ganhou o importante prêmio de design da IDSA (Industrial Designers Society of America), que elogiou sua interface por ser tanto familiar quanto moderna e útil.

Desde seu nascimento mais de 20 anos atrás, o menu iniciar do Windows tem sido um ponto de referência para abrir aplicativos e levar o usuário para o conteúdo que quer. Com o Windows 8 e Windows Phone 7, a Microsoft continuou a evolução da interface do menu ao adicionar live tiles que mostravam relevantes e personalizadas informações aos usuários a partir de aplicativos e serviços. Com o design do menu iniciar do Windows 10, a experiência de abrir e pular de um aplicativo para outro é unificada pelo legado e familiaridade do Menu Inicial em computadores Desktop – e as capacidades modernas do menu em celulares e tablets. O design permite que usuários tirem vantagem do que cada aparelho sabe e aplique ao outro, utilizando isso de uma maneira contextualmente apropriada.

Ou seja, aos olhos da IDSA, o novo menu iniciar do Windows 10 conta com tudo que foi bom nas versões anteriores e agrega diversas melhorias com um visual apropriado e moderno, além de ser aplicado com maestria em diferentes tipos de aparelhos. Mas para alguns, a volta do menu iniciar não é visto com olhos tão bons. O criador do menu iniciar original acha um pouco decepcionante que ele continue sendo usado.

Através do Twitter, Joel Belfiore da Microsoft deu seus parabéns para a equipe de design da Microsoft, como vemos acima. Parece que dessa vez a Microsoft acertou e continua seu legado de uma versão boa, outra ruim, uma boa e outra ruim e assim por diante em suas versões do Windows. Isso provavelmente acabará, já que o Windows 10 será o permanente por muitos anos, sendo constantemente atualizado.