Anunciada durante edição do Vila Cidadã na cidade, a construção da Estação de Piscicultura de Itajá tem início ainda este ano. Na tarde desta segunda-feira (21), o governador Robinson Faria recebeu o coordenador regional do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), José Eduardo Alves, para assinar o termo de cessão do terreno onde será erguida a Estação. A titularidade de área, antes do DNOCS, passa a ser do Governo do Estado.

O terreno mede 47.934,22m² e está localizado em área da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, na cidade de Itajá. “Estávamos aguardando a questão da legalização fundiária do terreno para dar continuidade ao projeto. Hoje assinamos a cessão junto ao DNOCS e vamos dar início às obras em breve”, disse o governador Robinson Faria. A expectativa é que a obra seja licitada até agosto. O investimento previsto é de aproximadamente R$ 7 milhões provenientes do Governo Cidadão, através do acordo de empréstimo junto ao Banco Mundial.

“Essa ação vai beneficiar não só o município de Itajá, mas toda a região, então é um momento de agradecer ao governo por esse investimento na nossa cidade”, disse o prefeito da cidade, Alaor Pessoa. O secretário da Agricultura da Pecuária e da Pesca (Sape), Guilherme Saldanha, destacou uma peculiaridade da obra. “Essa estação será feita na Armando Ribeiro, que é o único local do RN com segurança hídrica. É a maior barragem do Estado, será beneficiada com a transposição do Rio São Francisco e esse é um grande diferencial do projeto”.

“Pelo tamanho que a Estação vai ter e pelo nível de água que a Armando Ribeiro produz, ela vai funcionar em sua plenitude e com certeza vai revolucionar a atividade produtiva do pescado e outros agregados em Itajá e cidades vizinhas”, acrescentou o coordenador regional do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), José Eduardo Alves.

Também estiveram presentes na solenidade de assinatura o titular da Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Mairton França, a secretária chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha e o subsecretário de Pesca e Aquicultura, professor Antônio Alberto Cortez.